Home / NATIVIDADE AGORA / Prefeito de Natividade manda fechar o comércio, limita o acesso ao município e proíbe a circulação de pessoas pelas ruas

Prefeito de Natividade manda fechar o comércio, limita o acesso ao município e proíbe a circulação de pessoas pelas ruas

Como forma de prevenir o contágio do coronavírus, o prefeito de Natividade Severiano Rezende, como já era previsto, baixou agora a pouco, decreto com validade a partir da zero hora desta quarta-feira (01) e válido pelos próximos 15 dias, voltando a restringir o funcionamento do comércio e desta vez, proibindo a circulação de pedestres – salvo em casos de emergência e real necessidade – pelas ruas do município.

Continua depois da publicidade:

Ainda deve haver controle nas entradas da cidade, cujo acesso que estaria liberado apenas aos  veículos de transporte de cargas, aos moradores e aos que aqui trabalhem. No documento, Rezende determina que devem ser manter fechados os bares, restaurantes, lanchonetes e similares, permanecendo ativos somente os serviços através de delivery (entrega em domicílio). A medida também vale para clubes, academias, salões de beleza/similares, escritórios de contabilidade/advocacia e lojas em geral.

As farmácias, padarias, mercados, supermercados, quitandas, lojas de material de construção, postos de gasolina, distribuidores de gás/água, oficinas mecânicas, laboratórios, consultórios médicos/odontológicos, pet shop e lojas de ração, poderão funcionar obedecendo, obrigatoriamente, por parte dos funcionários, o uso de máscaras cirúrgicas e higienização regular e periódica de mãos, balcões e caixas, com álcool 70. Nestes estabelecimentos, o acesso dos clientes será restrito, sendo definido pelo setor de fiscalização da prefeitura, de acordo com a característica de cada empresa. Também Fica prorrogado para o dia 10 e 15 de junho, respectivamente, o vencimento da cota única e demais parcelas da Taxa de Localização e Funcionamento e ISSQN e do IPTU/TSU, exercício 2020.

As ações foram adotadas após orientação do Ministério Público e o governo do estado, que também prorrogou decreto semelhante.

Da redação da Rádio Natividade