Home / DESTAQUE / Ministério Público de Italva pede a anulação da eleição do Conselho Tutelar

Ministério Público de Italva pede a anulação da eleição do Conselho Tutelar

O Ministério Público de Italva impetrou uma ação civil pública ao Juízo de Direito da Vara Única de Italva/Cardoso Moreira solicitando a anulação das eleições do Conselho Tutelar de Italva. Segundo o parecer do MP, diversas irregularidades foram percebidas durante o pleito eleitoral ocorrido no último dia 06 de outubro, entre elas o fato de quarenta (40) eleitores terem votado sem constar seus nomes nas listas fornecidas pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral), o que não era permitido.

Além deste fato, que para o MP já é o suficiente para tirar a legitimidade da eleição, ainda houve eleitores que votaram sem assinar o caderno de votação, desta forma há mais votos que assinaturas e não houve essa conferência seção por seção. Além disso, o MP relata que houve diversas notícias de transporte irregular de eleitores, boca de urna, corrupção eleitoral, falta de fiscalização entre outros.

Na solicitação, o Ministério Público diz que o próprio CMDCA encaminhou ofício assumindo que há indícios de fraude nas eleições. Diante destes fatos, o MP requere a anulação da eleição e que novo pleito seja realizado em um prazo de 30 dias, obedecendo todas as regras previstas e que as falhas percebidas sejam corrigidas. São réus na ação, o próprio município, além dos cinco candidatos eleitos/reeleitos, Regina Brito Barbosa Robaina, Cintia Rangel Mendes, Clenilda dos Santos Barros Siqueira, Guilherme dos Santos Carvalho e Jéssica Ferreira Amaral.

Da redação da Rádio Natividade