Home / DESTAQUE / Natividade: Vereador presta queixa de ameaça contra subsecretário

Natividade: Vereador presta queixa de ameaça contra subsecretário

Pronunciamento do vereador Bernardo de Pinho na sessão do último dia 24/09, desencadeou polêmica na cidade. Da tribuna, o parlamentar que faz parte da oposição, afirmou haver casos de corrupção no governo do prefeito Severiano Antônio Rezende e que, em breve provaria suas acusações. Em resposta, no dia seguinte, o subsecretário de Desenvolvimento Econômico, Fernando Garcia Lemos Boschetti, gravou vídeo, que se espalhou pelas redes sociais, no qual rebate o político, se dizendo ofendido e o acusando de não ser “homem” e o tachando de “moleque”.

Até então, a divergência estava sendo tratada como algo corriqueiro nos meio políticos. Mas nesta quinta-feira (26), Bernardo compareceu à 140ª Delegacia, onde prestou queixa contra o adversário, a quem acusou de ameaça. Segundo Pinho, que apresentou duas testemunhas, o subsecretario que se encontrava no interior de um veículo oficial, o teria abordado na Avenida Amaral Peixoto, Centro, e supostamente se dirigido a ele com palavras do tipo “tome cuidado, eu vou te pegar, safado”.

A emissora – que publica tal caso apenas pelo fato dele ter se tornado caso de polícia – procurou as partes para que pudessem apresentar suas versões. Através de nota, Fernando Boschetti, negou as ameaças.

Em momento nenhum ameacei o tal vereador e sim, expressei como funcionário municipal o meu aborrecimento por essa acusação sem provas (insinuação de corrupção), isso fere a dignidade de nós trabalhadores que damos nosso “sangue” para poder fazer Natividade um lugar melhor. Brigam-se as ideias, mas jamais brigam-se os homens. Não é da minha índole agressões ou coisas do gênero. Me espantei por essa acusação de ameaça, pois hora nenhuma o ameacei. Espero que tenha deixado aqui nessas breves palavra a minha real posição do vídeo que acabou circulando, não era minha intenção. Mas também não posso me calar, diante de uma situação que coloca tantos servidores  municipais, sejam efetivos ou não, na ponta de um dedo onde não há provas e sim uma rixa politica”, escreveu

Já Bernardo, alegou que preferia não se manifestar. Um inquérito será aberto para apurar a situação.