Home / NATIVIDADE AGORA / Alunos de Natividade participam do 34º Intercolegial no RJ

Alunos de Natividade participam do 34º Intercolegial no RJ

Um grupo de alunos de escolas municipais de Natividade, superou a marca de mais de 350 km que separam a cidade até a capital do Rio de Janeiro, com objetivo de realizar um sonho antigo: participar pela primeira vez do 34º Intercolegial, competição entre unidades de ensino do estado do Rio de janeiro, que este ano contou com a participação de mais de 250 escolas/colégios.

Encarando mais de seis horas de viagem, as dez crianças não federadas do projeto de atletismo da escola fizeram bonito na pista do Cefan (Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes), na Penha. Liderados pelo professor Antônio Carlos “Popó”, os estudante mostraram potencial logo na estreia, ficando em quarto lugar na categoria jovenzinha não federada feminina.

— Muitos participaram de uma competição pela primeira vez na vida. A gente fez uma seletiva na cidade com mais de 300 crianças. Fomos estreitando e consegui trazer dez. Elas não são federadas. Temos o interesse de montar uma equipe e federá-las para dar continuidade a esse trabalho que desenvolvo em Natividade desde 2001. Estamos começando do zero e é a primeira vez que participamos do Intercolegial — explicou o treinador.

Para superar o desafio da distância e se fazer presente no Intercolegial 2016, o técnico Antônio Carlos revelou a logística montada pela escola.

— Estamos aqui desde a véspera da competição. Viemos para a casa de um amigo no Méier e hoje de manhã cedo viemos para o Cefan. A distância vale muito a pena. Estou nessa “brincadeira” há 16 anos e não é à toa. Já participei de brasileiros e outras competições estaduais, mas o Intercolegial é a base da base de tudo. Esse é o grande detalhe. Aqui você vê os garotos que não são nada ainda e que estão despertando para o esporte.

Batendo na trave na luta pelos pódios em seis provas individuais, a equipe deixou a competição com o sentimento de dever cumprido. Campeã no quesito superação, todos retornaram para Natividade com o amor ao esporte ainda mais vivo. Nem mesmo a longa viagem de volta foi capaz de tirar a animação do técnico e da garotada de Natividade.