Home / ENTREVISTAS / Presidente do Sindicato dos Servidores de Natividade critica o CODESP e diz que o órgão deveria ser extinto – OUÇA

Presidente do Sindicato dos Servidores de Natividade critica o CODESP e diz que o órgão deveria ser extinto – OUÇA

Durante entrevista concedida à Rádio Natividade na manhã desta segunda-feira (26), o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Natividade, Eliezir Machiote, analisou o concurso público, convocado pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde (CODESP) para preencher mais de 200 vagas nos municípios de Natividade e Porciúncula. De acordo com o sindicalista, não se trata de processo seletivo, cujo contrato é por tempo determinado, mas sim, de concurso público, que dará ao aprovado, o status de funcionário público, inclusive, com estabilidade de emprego.

– Isso é complicadíssimo para o setor público! Pois se digamos que o consórcio no futuro acabe. As prefeituras serão obrigadas a absorver todo esse pessoal. Nós aqui em Natividade, já passamos por isso. Foram 23 agentes que no passado, fizeram um processo seletivo e acabaram efetivados por força de determinação judicial. Outra coisa: a nosso ver, esse consórcio é desnecessário! Quando foi criado, já achamos um tamanho absurdo! Pois mantém uma estrutura administrativa muito cara, – destacou.

Ainda segundo o sindicalista, a instituição sequer deveria ter sido criada. Mas já que o foi, deveria ter sido extinta, para que o próprio município pudesse ser o responsável pelo pessoal, através de concurso público direto, sem intermediário.

– Ele (consórcio) se torna mais um órgão caro para o município. Acho que nem deveria ter sido criado. Assim, a Secretaria Municipal de Saúde absorveria esta mão de obra, economizando com estrutura administrativa, – pontuou.

Marchiote ainda se queixou do que avaliou como falta de transparência do consórcio – hoje gerido pelo município de Natividade, sob o comando do prefeito Francisco José Martins Bohrer – que teria se negado a fornecer informações ao sindicato.

– Nós temos aqui o documento em que a diretoria alegou que tais informações não eram do interesse do sindicato. Fomos ao judiciário e a juíza, de pronto, deferiu nosso pedido, determinando que o município forneça todas as informações, sob pena de multa diária de R$ 200, por cada dia de atraso. Prazo este, que já está correndo, – finalizou.

OUÇA A ENTREVISTA:

Através de nota enviada à redação da Rádio Natividade, a direção do consórcio, rebateu as críticas do sindicalista, ressaltando que o órgão apesar de tratar-se de uma associação pública entre os municípios de Natividade e Porciúncula, nada tem haver com os concursados da Prefeitura de Natividade. Que o concurso seria uma exigência do Ministério Público Estadual (MP) e os aprovados, serão regidos pela CLT. Ainda no documento, o secretário-geral Thiago Lyra, nega ter sonegado informações ao sindicato, sustentando que todos os ofícios foram respondidos.

nota-codesp