Home / DESTAQUE / Cicloturismo é alternativa para o crescimento do Noroeste Fluminense

Cicloturismo é alternativa para o crescimento do Noroeste Fluminense

Na oitava rodada regional do Mapa Estratégico do Comércio do Rio de Janeiro 2015-2020, em Itaperuna, especialistas e formadores de opinião contribuíram para subsidiar o debate sobre desafios e soluções, a fim de estimular o desenvolvimento econômico da Região Noroeste. A criação de projetos que incentivem o cicloturismo, por exemplo, foi uma das 145 propostas apresentadas pelo Grupo de Trabalho Interdisciplinar (GT) local, após os debates realizados nos dois dias do evento.

– O Mapa Estratégico do Comércio do Rio de Janeiro identificou as carências do Noroeste do Rio de Janeiro e veio buscar com as pessoas que pensam o desenvolvimento regional propostas para a transformação. O Sistema Fecomércio RJ é a alavanca que impulsiona a mudança – ressaltou Edmilson Ladeira, diretor da Fecomércio RJ e presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Itaperuna.

Especialistas destacaram que vocações regionais, como o agronegócio, e indicadores econômicos e sociais também podem impulsionar o crescimento da Região Noroeste. Quase 70% da população de Itaperuna, de acordo com o economista Marcelo Neri, da FGV, são das classes A, B e C, o que favorece o Comércio de Bens, Serviços e Turismo.

O incremento da Educação Profissional foi um dos temas que mais mobilizaram os debates, diante da importância da capacitação de mão de obra para o desenvolvimento regional.

O Mapa Estratégico do Comércio do Rio de Janeiro 2015-2020, elaborado pelo Sistema Fecomércio RJ, em parceria com a Fundação Getulio Vargas, por meio da FGV Projetos definiu nove fatores-chave considerados essenciais para o desenvolvimento do setor: Educação Profissional, Ambiente Empresa¬rial, Segurança, Tributação, Logística e Mobilidade Urbana, Relações com Atores de Interesse do Comércio, Conhecimento e Gestão Empresarial, Serviços Públicos de Suporte e Financiamento e Eficiência Operacional. O documento reúne dados socioeconômicos das oito regiões fluminenses: Costa Verde, Centro-Sul, Médio Paraíba, Noroeste, Norte, Serrana, Baixadas Litorâneas e Metropolitana. Os encontros regionais do Mapa serão realizados até outubro.

Vocações locais

O fator-chave que recebeu o maior número de propostas no Encontro Regional do Mapa Estratégico do Comércio em Itaperuna (22) foi Segurança. Mas um dos destaques apontados pelos especialistas da FGV, que coordenam os trabalhos, foi a ideia de promover a qualificação de técnicos voltados para a Gastronomia de laticínios, no fator-chave Educação Profissional, como forma de valorizar a identidade regional.

A Região Noroeste foi responsável, em 2014, por 27% da produção de leite do Rio de Janeiro. A industrialização de um queijo que criasse uma marca regional poderia despertar o interesse dos consumidores e tornar-se até mesmo atração turística, concluiu o GT.

Articulada com outras vocações locais, como a agropecuária e a piscicultura, essa iniciativa poderia impulsionar ainda mais a economia regional, uma vez que o Noroeste Fluminense responde por mais de 60% da produção de café e por 43% da produção de tilápia no Estado.

– A educação profissional tem papel decisivo na viabilização das vocações regionais – ressaltou Cláudio de Souza Osias, consultor da FGV Projetos e coordenador dos Grupos de Trabalho do Mapa.

Edmilson Ladeira, diretor da Fecomércio RJ e presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Itaperuna - JPaim
Edmilson Ladeira, diretor da Fecomércio RJ e presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Itaperuna – JPaim