Home / NATIVIDADE AGORA / Prefeito de Natividade alega ter sido impedido de prestar depoimento à CPI das Ambulâncias

Prefeito de Natividade alega ter sido impedido de prestar depoimento à CPI das Ambulâncias

Mais um round da queda de braços entre executivo e legislativo de Natividade, foi protagonizado na manhã desta terça-feira (05), na sede do parlamento local, que instalou no final do ano passado, uma CPI para apurar supostas irregularidades cometidas pela gestão municipal passada, na aquisição de ambulâncias, durante o governo do então prefeito interino Robson Barreto, o Robson do Açougue.

De acordo com denúncias do atual prefeito Francisco Martins Bohrer, o Chico da Saúde, seu antecessor teria usado recursos irregulares procedentes de verbas repassadas pelo Fundo Nacional de Saúde do Ministério da Saúde referentes ao PAB (Atenção Básica) e ao MAC (Média e Alta Complexidade) bem como a utilização de recursos repassados pelo estado do Rio de Janeiro para o cofinanciamento da atenção básica, para a compra dos veículos, que passados quase oito meses e já pagos, ainda não chegaram à cidade. Os valores seriam da ordem de aproximadamente R$ 1 milhão.

Várias pessoas já teriam sido ouvidas em depoimento e uma delas,  Bohrer afirmou ter sido impedido pelos integrantes da comissão de prestar declarações, na condição de testemunha.

– A Câmara já havia me convocado outras três vezes, sempre com menos de 24 horas de antecedência e por razões de compromissos, não tive como comparecer. Ontem (04), depois de outro convite, decidi me colocar à disposição. Só que hoje (05), para minha surpresa, a primeira pergunta formulada pelos integrantes foi seu eu aceitaria receber tais veículos. De pronto, disse que não me caberia tal resposta, pois creio não ter a obrigação de me posicionar sobre. Até porque, as notas há oito meses foram atestadas e pagas. Eles (empresa), dizem que tem um documento em nós nos recusamos a receber. Isso não é verdade. A entrega, que se deixe claro, independe da minha decisão. Ou seja, basta que eles cheguem com tais veículos e os deixem na cidade. Não posso ser responsável por um ato que não dei causa. Só que a partir daí, o presidente da comissão, encerrou a sessão, mesmo diante da informação de que eu gostaria de continuar a falar sobre. Ele deu por encerrado e ponto final ! Quero deixar claro, que da nossa parte, todas as informações já foram encaminhadas aos órgãos de controle. Só acho que os vereadores deveriam investigar a fundo o desvio de tais recursos. E infelizmente, me foi negado à palavra, – destacou o prefeito, que se mostrou indignado com o episódio, durante conversa telefônica com a Rádio Natividade.

A emissora também procurou o presidente da CPI, Bernardo de Pinho, que afirmou que só se pronunciará sobre o caso, depois de concluído o relatório, cuja data não foi especificada. Além de Pinho, a comissão é formada pelos vereadores Fabiano França e Rogério Alvarez.

Da redação da Rádio Natividade