Home / DESTAQUE / Produtores rurais do Noroeste Fluminense recebem capacitação para compras públicas estaduais

Produtores rurais do Noroeste Fluminense recebem capacitação para compras públicas estaduais

Produtores rurais do Noroeste Fluminense estão sendo capacitados para fornecer gêneros alimentícios para a merenda escolar das escolas estaduais da região. Na semana passada, o Sebrae/RJ e a Secretaria Estadual de Educação (Seeduc) realizaram, em Itaperuna, uma oficina para ensinar os participantes a elaborar o Projeto de Vendas, item obrigatório para a próxima etapa da chamada pública.

O encontro foi direcionado para produtores já habilitados na primeira fase da chamada pública da Seeduc e contou com a participação de 25 empreendedores rurais.  A iniciativa faz parte do Programa Estadual de Compras Governamentais, o Compra Mais 2, desenvolvido através de parceria do Sebrae com o Governo do Estado do Rio, para estimular o desenvolvimento sustentável através do incentivo às compras públicas direto dos pequenos negócios.

Para o coordenador regional do Sebrae/RJ no Noroeste Fluminense, Nelson Rocha, a capacitação ajuda os produtores a aproveitar a oportunidade de expandir suas vendas para o Governo do Estado, sem atravessadores. “Muitos produtores já fornecem para a merenda escolar dos municípios, é uma venda certa, com preço justo. Agora, estamos preparando-os para fornecer alimentos para o Estado também. É preciso planejar a produção, e apresentar um projeto coerente com a realidade da nossa região. O formulário é simples, mas se o agricultor não preenchê-lo corretamente, será desclassificado do processo”, esclarece Rocha.

A Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009, determina que no mínimo 30% do valor repassado a estados e municípios pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) deve ser utilizado na compra de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar. A aquisição é realizada por meio de chamada pública. O objetivo do Sebrae é ajudar os agricultores a acessar este mercado, aumentando cada vez mais o percentual de compra direta com os pequenos produtores.