Home / DESTAQUE / Indústrias do Noroeste Fluminense operam com pouco mais da metade da capacidade

Indústrias do Noroeste Fluminense operam com pouco mais da metade da capacidade

As indústrias do Noroeste Fluminense registraram queda da atividade produtiva em dezembro de 2015, revela a Sondagem Industrial realizada pelo Sistema FIRJAN. De acordo com a pesquisa, o indicador volume de produção atingiu 42,6 pontos. A indústria trabalhou com apenas 58% de sua capacidade, resultado 4,7 pontos percentuais abaixo da média histórica da região.

A sondagem varia de zero a cem pontos. Os valores abaixo de 50 indicam piora ou redução e acima de 50 representam melhora ou aumento. Os empresários apontaram ainda que houve redução dos postos de trabalho (44,0). A situação financeira das empresas também piorou e atingiu 35 pontos. Segundo a sondagem, a margem de lucro foi outro indicador que apresentou queda ( 30,7) e os empresários apontaram ter encontrado mais dificuldade no acesso ao crédito no período ( 27,7).

Para o primeiro semestre 2016, os empresários esperam um novo recuo na atividade produtiva. A expectativa é de queda na demanda por produtos industriais no mercado ( 45,3) e na compra de matéria prima (42,9). O número de empregados também deve cair ( 41,7). Os industriais se mostraram otimistas em relação às exportações e esperam aumento na atividade ( 62,5) nos primeiros meses deste ano, já que disseram acreditar que desvalorização do real irá favorecer a venda de produtos para o exterior.

Participaram da Sondagem Industrial empresas dos 13 municípios atendidos pela Representação Regional FIRJAN/CIRJ Noroeste Fluminense: Aperibé, Bom Jesus do Itabapoana, Cambuci, Italva, Itaocara, Itaperuna, Laje do Muriaé, Miracema, Natividade, Porciúncula, Santo Antônio de Pádua, São José de Ubá e Varre-Sai.