Home / DESTAQUE / Matilha de cães vadios supostamente ataca e devora bezerra na zona rural de Natividade

Matilha de cães vadios supostamente ataca e devora bezerra na zona rural de Natividade

O grande número de cães vadios que tanto causa transtornou aos moradores das ruas de Natividade, parece não ser privilégio apenas dos habitantes do perímetro urbano do município. E o pior, parece não haver qualquer tipo de ação, por parte da prefeitura local para pelo menos, amenizar a situação. Nesta quarta-feira (23), o produtor rural Gustavo Nunes, flagrou praticamente o momento em que  uma bezerra de raça, foi supostamente atacada e começou a ser devorada viva por uma matilha, na Fazenda Barra Mansa, que fica às margens da RJ 220, logo após o Parque Lajinha.

– Os cães vira-latas atacaram e devoraram este animal. Quando tirei esta foto, ela ainda estava viva, – destacou Gustavo.

O caso no entanto, foi tratado com certa reserva pelo biólogo Mateus Nascif Vargas, que ouvido pela emissora, acha pouco provável que cães normais de rua, tenham atacado o animal. Ele não descarta a possibilidade de que a ação tenha sido praticada por algum felino.

– Eu não acredito que um vira-lata conseguiria matar um bezerro dessa maneira. Só se for um vira- lata monstruoso. Se fosse um “Dog Argentino”, um “Pit Bull” ou um outro cachorro parecido, aí sim. Mas se tratando de um vira-lata, que geralmente é um cachorro de pequeno porte, seria difícil fazer isso com um bezerro saudável, até porque, nem altura ele teria para atacar assim. Geralmente os cães atacam por trás e em partes como a barriga, cortando a barriga e começando a se alimentar por aí. Bem, esse é o comportamento normal dos canídeos, ainda mais em matilha. Não estou afirmando nada, mas pode ser um felino também. Atentem que o ataque, se deu na parte superior da espinha, o que e característico dos felinos. Pode ser uma onça parda, que e raríssima, mas é nativa da mata Atlântica. Como disse, não estou afirmando nada, mas sim, trabalhando com suposições conforme as características do ataque, – destacou o especialista.

Da redação da Rádio Natividade – Foto enviada pelo leitor