Home / DESTAQUE / Vereadora de Cambuci acusada de ser funcionária “fantasma” da Prefeitura de Rio das Ostras

Vereadora de Cambuci acusada de ser funcionária “fantasma” da Prefeitura de Rio das Ostras

Localizado no Noroeste do estado do Rio de Janeiro, o município de Cambuci está a 105,88 quilômetros de distância de Rio das Ostras em linha reta e a 221 quilômetros por via rodoviária. Se essa viagem for feita de ônibus o passageiro vai gastar cerca de seis horas para ir e voltar, mas nada disso desencoraja a vereadora Leila Cristina Pinheiro Barcelos (PSC), de Cambuci, a exercer sua profissão em Rio das Ostras. Ela assumiu cargo de professora nível I na rede municipal de ensino, contratada temporariamente pelo prefeito Alcebíades Sabino dos Santos (também do PSC), que poderia ter preenchido a vaga escolhendo uma das centenas de professoras residentes na cidade e aguardam o julgamento do processo no qual a anulação do concurso público realizado pela Prefeitura em 2012 é questionada. Diante da longa distância resta saber qual ocupação está sendo sacrificada, se a de professora ou o exercício do mandato parlamentar, o que o Ministério Público deverá esclarecer, buscando informações sobre a lotação da professora, horário de trabalho e turma a qual ela ensinava.

A contratação da vereadora – que foi eleita em 2012 com 428 votos – não representaria nenhuma irregularidade se o ponto de freqüência estiver em dia e seu comparecimento à escola for comprovado, com documentos assegurando a carga horária cumprida e o número de alunos que tiveram aulas com ela, com os diários de classe assinados. Do contrário tanto ela como o prefeito Alcebíades Sabino e a secretária municipal de Educação Andrea Machado Pereira de Carvalho poderão responder por improbidade administrativa, com os três sendo obrigados a devolver, solidariamente, o valor total pago a Leila Cristina como salário. Pelo outro lado, se a atividade profissional supostamente exercida em Rio das Ostras prejudicar o comparecimento dela às sessões da Câmara Municipal de Cambuci, Leila Cristina corre risco de perder o mandato.

De acordo com dados do Portal da Transparência do município de Rio das Ostras este ano a vereadora esteve em atividade como professora até maio, mas sua situação funcional foi alterada – com dados atualizados na última terça-feira (30 de junho) -, registrando a informação “licença/afastamento”, sem que a Secretaria de Educação desse qualquer informação sobre o motivo da licença. Entretanto, uma fonte ligada à secretaria revelou ontem à noite ao jornaldosmunicipiosrj.com.br que a “licença” aconteceu depois que o vereador Deucimar Talon Toledo (PT) denunciou a contratação no plenário da Câmara de Rio das Ostras e pediu explicações ao governo.

Genéricas, as informações do portal sobre Leila Cristina provam apenas que ela foi contratada e que recebe salário do município, nada assegurando sobre o efetivo exercício da função para qual a vereadora foi contratada, gerando dúvidas se ela realmente cumpriu sua carga horária na rede de ensino. Segundo a Portaria 0092/2015, publicada na edição 724 do órgão oficial do município (30 de janeiro), o contrato de Leila Cristina (matrícula 214066), foi renovado por mais 12 meses.

A Vereadora foi mandada embora pela Prefeitura de Rio das ostras, na última quinta-feira(02), depois de ter sido denunciada por um Vereador Rio Ostrense.

Fonte: Jornal dos Municípios – Foto: SFNotícias